quinta-feira, 21 de maio de 2009

Momento mulherzinha

Realizei um sonho de consumo: comprei um scarpin .... de oncinha! Você pode me perguntar: mas o que você vai fazer com um acessório tão perua? E eu respondo: sei lá. Mas comprei, hehehehe. Aliás, calço ele agora. De shorts e camiseta regata, hahahaha. Esquisito é pouco mas estou adorando usá-lo, mesmo que seja em casa, em frente ao computador.

Confesso, tenho um lado perua. Adoro coisas brilhantes, seja em roupas ou acessórios. Não posso ver uma blusinha toda bordada na vitrine que paro para observar os detalhes. Sabe aquelas bijuterias enormes, cheias de pedras? Adivinha. Adoro! Mas, felizmente para meu bolso, não uso nada disso. Meu estilo é mesmo o básico: calça jeans, camiseta lisa e tênis. All Star, desde sempre, claro. Não sou eu que sigo a moda rocker, eles que me seguem, hehehehe.

Sou tão básica, que vou trabalhar assim. Sei que parece estranho uma editora/assessora de imprensa se vestir como uma estudante universitária. Até tento usar uma coisinha ou outra diferente, de vez em quando, mas não me sinto bem. Quando tenho que usar salto, é um tormento. Meus pobres pezinhos geralmente acabam cheios de bolhas e/ou em carne viva.

Quem sempre sofreu com este meu jeito é minha mãe. Quando eu era criança, ela tentava me enfiar em vestidinhos de babados, fitas e que tais. Geralmente, o vestido terminava rasgado, sujo e totalmente imprestável porque eu não sabia me comportar como uma menininha normal.

Na adolescência, minha mãe queria me ver em sedas, rendas e salto alto. E eu roubava as camisetas de dormir do meu pai (eram tão macias, grandes e confortáveis) e ia para as baladas com elas. Até podia, de vez em quando, em ocasiões especiais, usar uma camisa de seda. Mas do jeans, eu não abria mão.

O máximo que nossos gostos, o meu e de minha mãe, bateram foi a respeito de uma saia de couro que uma tia minha fez (seguindo rigorosamente minhas especificações, claro). Esta saia e umas duas outras (uma vermelha rodada e uma azul de pregas) foram as únicas que já usei com gosto, depois dos 14 anos de idade. A última saia que tive foi uma longa, xadrez preto e branco, que usava com tênis e, claro, camiseta. Mas isso faz mais de....ixi, deixa prá lá.

Mas voltando ao scarpin de oncinha, sempre achei um luxo sapatos assim. Agora que tenho, vou tentar usá-lo na rua. Mas, me conhecendo, acho que vai mesmo ficar como um fetiche: de vez em quando, tiro do armário, calço e me delicio, hehehehehe.

Um comentário:

  1. coisas brilhantes deixam nossos olhos felizes...

    ResponderExcluir